Amizade

em potência

A promessa estava feita há tanto tempo que nenhum se lembrava da razão pela qual havíam decidido ir comer ostras. Um dia, por uma vitória ou derrota, decidiram sair para ir comer ostras. Um não podia, a outra precisava de ir para casa, a terceira estava com dúvidas e a outra queixava-me do mesmo de sempre. Não foram. Ficou para outro dia.

Ostraria: ostra ao natural

O John era o bravo de um grupo de mulheres. A alma de hiplet da V contrastava com a introspecção da Lenny e o surrealismo da rainbow girl a quem chamavam Sophie. Havia ainda a outra, a quem chamavam boss porque era mandona.

Quase todos os dias lhe cobravam as ostras. Nunca respondia, sorrindo a pensar que o que é nosso, à nossa mão vem parar e que a aposta que haviam feito se iria cumprir.

Um dia, à tarde, a Lenny disse que nunca tinha provado ostras. Sentados num open space a dividirem uma mesa enorme, quadrada, levantaram os olhos dos computadores e fitaram-na a ponto de ter corado. Estava decidido: iriam, naquele momento, comer as ostras.

E foram, em direcção ao Chiado, para se lambuzarem, dando a conhecer esse universo fantástico das ostras ao qual a Lenny que se rendeu de imediato...

Foram surpreendidos quando lhes trouxeram ostras com Tabasco. Tabasco, perguntaram?... Experimentem, responderam-lhes. Experimentaram.

Afinal, nunca tinham provado ostras. Não era a Lenny a inexperiente do grupo. Nunca tinham comido ostras. Porque ostras... São maravilhosas. Mas o Tabasco eleva as ostras a outro nível!

Provaram todas as ostras que a Ostraria tinha para oferecer. Riram que nem perdidos, inundaram os perfis uns dos outros no instagram com fotografias das ostras e renderam-se a duas coisas: às ostras com Tabasco e à amizade que pode nascer assim, como quem come uma ostra cheia de sabor...

Share This Story

    Autoplay:

    get the app